Sala Híbrida

Sala Híbrida


Nos últimos anos, temos acompanhado uma profunda transformação de paradigma no tratamento de inúmeras doenças em praticamente todos os órgãos do corpo humano, com uma crescente utilização de intervenções minimamente invasivas em relação às cirurgias tradicionais, abertas. Com a evolução das tecnologias, nem a sala de cirurgia clássica, nem a sala de hemodinâmica convencional se tornaram ideais para os novos procedimentos.

Surge neste cenário o conceito de Sala Híbrida. O ambiente é projetado para proporcionar uma qualidade superior do equipamento de imagem de alta definição, com carga de radiação reduzida e pessoal especialmente treinado. A principal característica de uma Sala Híbrida é sua capacidade de atingir o melhor tratamento para pacientes, tendo o benefício de um ambiente estéril e a possibilidade de realização qualquer procedimento cirúrgico. Além disso, os exames que podem ser realizados na própria sala, antes, durante e após o tratamento oferecem valiosas informações para os cirurgiões.

Neste ambiente também são realizados procedimentos abertos de alta complexidade como cirurgias cardiovasculares e neurológicas.

Alguns exemplos de procedimentos realizados na sala híbrida:
Diagnósticos: arteriografia de todos os segmentos corpóreos, como cerebral, cervical, pulmonar, renal, intestinal, membros inferiores, colangiografia percutânea, dentre outros;
Terapêuticos: embolizações em praticamente todo o corpo (tumores, fígado, miomas uterinos), implante de stents (cerebrais, cervicais e membros inferiores), tratamento de aneurismas, inclusive cerebrais, dentre inúmeros outros tratamentos.