Dicas de Saúde

Idosa de 98 anos recebe alta após ser curada da Covid-19

Os familiares de Carmélia Maria Calegari, de 98 anos, receberam na segunda-feira (6) a notícia mais esperada dos últimos 24 dias: a alta hospitalar da matriarca da família. Isso aconteceu, após ser considerada curada do novo Coronavírus. A idosa deu entrada no Santa Genoveva Complexo Hospitalar no dia 13 de junho com falta de ar e saturação baixa, dois dos sintomas da doença. Ela foi o único caso da família que testou positivo. "Todos nós da família estamos tomando os cuidados necessários desde o início da pandemia. E quando ela se queixou da dificuldade para respirar, logo nos apavoramos e corremos para o hospital. Lá, ela foi muito bem atendida por  todos.  A equipe médica sempre muito atenciosa, nos informava de tudo o que estava acontecendo", relatou Thassyane, neta de dona Carmélia. Por conta da idade, quase um século de vida, dona Carmélia ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Voz do Especialista Segundo o médico geriatra responsável por acompanhar a paciente, Tiago Ferolla, a evolução de dona Carmélia surpreendeu toda a equipe. "Normalmente, a Covid-19, nos idosos, tem tendência de ser mais grave e com acometimento pulmonar maior. Isso acaba gerando mais tempo em UTIs. Aqui no Santa Genoveva, os idosos são a maior parte dos casos de internação, tanto em UTI, quanto na enfermaria', disse. "Por se tratar de uma paciente nonagenária, dona Carmélia demandou cuidados especiais com fisioterapeutas e medicamentos adequados. Isso foi importante para evitar outras complicações como uma pneumonia bacteriana e aumento de pressão arterial", explica. Tiago Ferolla salienta que os primeiros 30 dias pós alta hospitalar [...]

Leia mais...

Dieta por sonda: salva vidas e diminui a desnutrição

Maior complexo hospitalar privado de Uberlândia confecciona material informativo sobre os principais cuidados domiciliares com a dieta por sonda   O Brasil é um país com grande número de idosos, o que não é segredo para ninguém. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem cerca de 28 milhões de idosos. Esse número totaliza 13,5% da população. A estimativa é que até 2050, um em cada três brasileiros seja idoso. Segundo o médico Nutrólogo e coordenador clínico da Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Cláudio Barbosa, esses números mostram porque o serviço médico-hospitalar tem se preparado para o aumento dos casos que precisam de tratamentos contínuos por vários anos. "A tendência mundial, ainda mais em época de pandemia, é focar no processo de desospitalização, quando o paciente está com quadro estável. Mas é importante cuidarmos da nutrição desses pacientes. Muitos familiares têm receio de manter o tratamento em casa, mesmo após a alta hospitalar", disse. O nutrólogo  ressalta que o Santa Genoveva Complexo Hospitalar é referência no assunto. "Fomos o primeiro hospital privado de Uberlândia com uma Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional. Fazemos um acompanhamento bem próximo ao paciente e seus familiares. Além disso, no momento da alta hospitalar, entregamos um material informativo impresso, que também é disponibilizado on-line, sobre o manejo das sondas, administração de medicamentos por sonda e inclinação necessária da cama durante a infusão da dieta, para que os pacientes possam ter informações e orientações de como proceder no domicílio", salienta. "É claro que esse tipo de realidade [...]

Leia mais...

Asma: é possível controlá-la?

Maior complexo hospitalar privado de Uberlândia chama atenção para a doença que atinge mais de 6 milhões de brasileiros Tosse com ou sem secreção, falta de ar, sensação de aperto no peito ou chiado, são alguns dos sintomas dessa doença respiratória muito comum: a asma, cujo dia nacional de controle é 21 de junho. A asma é uma doença crônica, que afeta as vias respiratórias, e atinge cerca de 6,4 milhões de brasileiros com mais de 18 anos, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2015, do Ministério da Saúde. Ao levar em consideração as crianças e adolescentes, esse número aumenta para 20 milhões. Ainda de acordo com a pesquisa, as mulheres são mais acometidas pela doença. Dados da OMS A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que existam 300 milhões de pessoas em todo o mundo que sofrem com a asma. O Brasil ocupa a 8ª posição no ranking mundial de prevalência da doença. Segundo a pneumologista do Santa Genoveva Complexo Hospitalar Dra. Bruna Zanatta Franco, ‘asma brônquica’ e ‘bronquite asmática’ são nomes diferentes dados para a mesma doença. “Essa doença não tem cura e a hereditariedade é um fator importante. Por ser inflamatória, tem controle e, por isso, é importante realizar acompanhamento médico periodicamente. O objetivo principal do tratamento é controlar a asma e prevenir riscos futuros. Mas por ser uma doença sazonal e heterogênea, ela pode se desenvolver em qualquer fase da vida”, explica. O risco da Covid-19 para quem tem asma Como o novo Coronavírus ataca, sobretudo, os pulmões, o paciente asmático tem mais chances de desenvolver os sintomas mais graves da [...]

Leia mais...

Teste do Pezinho comemora meio século no Brasil

Exame é capaz de diagnosticar doenças graves já nos primeiros dias de vida de um bebê   Instituído pelo Ministério da Saúde em 6 de junho 2001 como o Dia Nacional de Teste do Pezinho, juntamente com a criação do Programa Nacional de Triagem Neonatal, a data tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da realização do exame. Desta forma, detectando várias doenças nos primeiros dias do bebê, o Teste do Pezinho começou a ser realizado em 1970. Do mesmo modo, em 1992, passou a ser obrigatório em todo o território nacional. De acordo com o Ministério da Saúde, anualmente, cerca de 2,4 milhões de recém-nascidos são triados no programa. Assim, em cinco anos, mais de 17 mil bebês foram diagnosticados com alguma das doenças detectáveis pelo Teste do Pezinho. As doenças mais comuns são o hipotiroidismo e a doença falciforme, que correspondem a 77% dos casos. Quando fazer? Por quê? Segundo o pediatra e responsável pelo Pronto-Atendimento Pediátrico do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Douglas Lopes, o Teste do Pezinho deve ser colhido em todos os recém-nascidos entre três e cinco dias de vida. "Essa é uma das principais maneiras de diagnosticar uma série de doenças, antes mesmo de aparecerem os primeiros sintomas. Conseguimos antever algumas doenças raras e de origem genética, facilitando o tratamento precoce e trazendo mais qualidade de vida aos pacientes e suas famílias", disse. Fazer na Rede Pública ou Privada? Ainda segundo o médico, o Teste é acessível a todos e disponível na rede pública. Contudo, há diferença com a opção oferecida na rede privada. "Na rede [...]

Leia mais...

Obesidade infantil: uma doença desafiadora e que traz riscos para a vida adulta

No Brasil, cerca de 12% das crianças de cinco a nove anos são obesas. Para 2025, OMS estima que serão 75 milhões de crianças obesas em todo o mundo.   Marcado no calendário nacional como o Dia de Conscientização Contra a Obesidade Infantil, o dia 03 de junho serve para alertar sobre os riscos e consequências da obesidade na infância. Segundo o Ministério da Saúde, existem estudos recentes que apontam que crianças que estão acima do peso possuem 75% mais chances de serem adolescentes obesos. Já os adolescentes obesos, têm 89% de chances de se tornarem adultos obesos. Uma pesquisa do próprio Ministério indicou que 12,9% das crianças brasileiras, de cinco a nove anos, são obesas e 18,9% dos adultos estão acima do peso. Obesidade infantil A obesidade infantil é um dos fatores que coloca em risco o futuro das crianças. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que em 2025 existirão 75 milhões de crianças obesas no mundo. Segundo a OMS, esse é um dos maiores problemas de saúde pública no planeta. Para o médico Nutrólogo e coordenador clínico da Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional do Santa Genoveva, Cláudio Barbosa, a obesidade é a doença crônica não transmissível que mais traz impactos na qualidade de vida e no risco de outras doenças. "Essa é a verdadeira pandemia do século XXI, que acomete todas as etnias, classes sociais e, inclusive, nossas crianças e adolescentes", disse. "Nós imaginávamos, há algumas décadas, que a presença de placa de gordura só aumentava o risco de infarto no coração e no cérebro, em um processo conhecido como aterosclerose, no [...]

Leia mais...

Tabagismo: um vício que pode ser letal até para quem não fuma

Cigarro é o responsável por mais de 400 mortes por dia no Brasil e mais de 50 mil casos de cânceres   Dia 31 de maio é uma data importante para falar sobre algo que está em quase todas as rodas de conversa: o cigarro. Milhões de pessoas morrem todos os anos de doenças relacionadas ao cigarro. O Dia Mundial sem Tabaco serve para conscientizar sobre os malefícios causados pelo tabagismo. Além de alertar sobre as doenças que esse hábito pode causar. O cigarro contém mais de 4 mil substâncias químicas, das quais pelo menos 70 são cancerígenas, e, por meio delas, aumenta o risco de câncer de pulmão, leucemia mieloide aguda, boca, garganta, pescoço, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, colo de útero, bexiga, rins, ossos e vários outros. O cigarro é responsável por, pelo menos, 40% de todos eles. Tabagismo, uma doença crônica O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica, que é caracterizada pela dependência à nicotina. Essa doença já integra o grupo de transtornos mentais. O tabagismo já é considerado a maior causa evitável isolada de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo. Segundo o site do Instituto Nacional de Câncer (INCA), a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que o tabaco mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Dessas mortes, mais de 7 milhões são pelo uso direto e cerca de 1,2 milhão consequência em fumantes passivos, ou seja, pessoas que não fazem o uso direto do produto. Ainda de acordo com o INCA, no Brasil, cerca de 428 pessoas morrem por dia em decorrência da dependência à nicotina. Mas [...]

Leia mais...

Obesidade: uma doença que atinge cerca de 20% da população brasileira

Sob o mesmo ponto de vistaPesquisa do Ministério da Saúde aponta que um em cada cinco brasileiros sofre com a obesidade. Projeção da OMS é que existirão mais de 700 milhões obesos no mundo em 2025.   A luta contra a balança há muito tempo deixou de ser considerada desleixo ou preguiça. A obesidade tem se tornado um dos principais fatores para o surgimento de outras enfermidades crônicas. Como, por exemplo, problemas cardiovasculares e diabetes. O dia 23 de maio passou a ser conhecido como o Dia Nacional da Luta Contra a Obesidade como alerta sobre os perigos que a obesidade pode causar. O Santa Genoveva aproveita a data para conscientizar sobre os riscos em manter uma alimentação desregrada e com ingestão calórica excessiva. Obesidade em números Dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2018, realizada pelo Ministério da Saúde, apontam que mais da metade da população do país está acima do peso. Já a obesidade atinge um a cada cinco brasileiros. Ainda segundo a pesquisa, a porcentagem de obesos subiu de 11,8% em 2006, para 19,8% em 2018. Nessa pesquisa, os números também apontaram que o crescimento da obesidade foi maior entre os adultos de 25 a 34 anos e de 35 a 44 anos, com 84,2% e 81,1%, respectivamente. A pesquisa da Vigitel é realizada anualmente pelo Ministério da Saúde, por meio de entrevistas telefônicas. Problema de saúde pública A obesidade é, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), um dos maiores problemas de saúde pública do mundo. A projeção é que, em 2025, [...]

Leia mais...

Como explicar para as crianças sobre a importância de se prevenir do Coronavírus?

"O Show da Luna" explica como é importante lavar bem as mãos para prevenir várias doenças.    Se tem um desenho que a criançada gosta é o "O Show da Luna!". Essa animação brasileira explica de forma lúdica e criativa sobre a importância de temas ligados à ciência, astronomia, física, química e biologia. Sem dúvida, assuntos que aguçam a curiosidade delas. Não é segredo para ninguém que, nesse ano, a saúde em todo o planeta passa por uma grande crise: a Pandemia ocasionada pelo novo Coronavírus. A nova doença foi descoberta no final de 2019, após os primeiros casos da COVID-19 terem sido registrados na China. Segundo o Ministério da Saúde, até o dia 14 de abril, foram 25.262 infectados no Brasil. Essa nova realidade fez com que a maior parte das pessoas adotassem novos hábitos. Levando isso em consideração, um episódio de "O Show da Luna!" é particularmente interessante. Ele foi lançado muito antes de se falar nesse novo Coronavírus e explica para as crianças como é importante lavar corretamente as mãos. Além de mostrar como essa prática pode prevenir várias doenças. O episódio "Uma mão lava a outra" ganhou uma versão ampliada. Além disso, a produtora responsável pelo "O Show da Luna!" lançou uma cartilha. O material explica o que é o Coronavírus, traz várias dicas de prevenção e está disponível em português, inglês e espanhol. Foram lançados também livros, que podem ser impressos, com atividades e desenhos para colorir. Tudo no universo de "O Show da Luna!".  Perfeitos para otimizar o tempo da criançada em casa, durante o período de quarentena e isolamento. Esta é uma forma leve e divertida de explicar [...]

Leia mais...

Coronavírus: o Dia Mundial da Saúde em meio a uma pandemia

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de manter o corpo saudável, é comemorado no dia 07 de abril o Dia Mundial da Saúde. A data foi escolhida para coincidir com a criação da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1948. O Dia Mundial da Saúde é sempre lembrado com muito carinho pelos profissionais de saúde. Entretanto, nesse ano, a saúde em todo o planeta passa por uma grande crise: a Pandemia ocasionada pelo novo Coronavírus, descoberto no final de 2019 após os primeiros casos da COVID-19 terem sido registrados na China. Segundo a médica infectologista e Coordenadora do Serviço de Controle de Infecções Hospitalares do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Astrídia Fontes, os primeiros Coronavírus humanos foram isolados em 1937. Eles podem provocar um simples resfriado até enfermidades mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). "A diferença para esse novo vírus é a sua alta capacidade de contágio. É importante dizer que os principais sintomas são parecidos com os de uma gripe, como febre, tosse, coriza, dor de garganta e falta de ar nos casos mais graves. A perda de olfato e paladar podem estar presentes. Além desses, existem alguns outros sintomas menos comuns, como a falta de apetite, dor de estômago, enjoos, vômitos e diarreia", explica. A infectologista salienta que a transmissão ocorre por gotículas de saliva ou secreções respiratórias que se espalham principalmente através de tosse e espirros ou ao passar a mão contendo os vírus em seus olhos, nariz e boca após tocar objetos e superfícies contaminadas. De acordo com a médica o período de incubação do novo vírus [...]

Leia mais...

Coronavírus: saiba o que fazer se apresentar sintomas de contaminação

● CASO EXCLUÍDO DE DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19) Diante do aumento de registros na base de dados do FORMSUS2, serão classificados como excluídos aqueles que apresentarem duplicidade OU que não se enquadram em uma das definições de caso acima. ● CASO CURADO DA DOENÇA PELO CORONAVÍRUS 2019 (COVID-19) Diante das últimas evidências compartilhadas pela OMS e países afetados, o Ministério da Saúde define que são curados: ● Casos em isolamento domiciliar: casos confirmados que passaram por 14 dias em isolamento domiciliar, a contar da data de início dos sintomas E que estão assintomáticos. ● Casos em internação hospitalar: diante da avaliação médica. Observação: a liberação do paciente deve ser definida de acordo com a equipe de saúde responsável. Tipos de contato Contato domiciliar Pessoas que dividem a mesma residência com um paciente de Covid-19 devem seguir as seguintes orientações: • Dormir em camas separadas; • Utilizar banheiros diferentes e desinfetar com água sanitária; • Manter os ambientes ventilados; • Não compartilhar talheres, copos, toalhas e outros utensílios comuns. Contato próximo O contato próximo é definido como uma proximidade de até 2 metros de um paciente com suspeita de coronavírus. Isso pode acontecer dentro da mesma sala ou área de atendimento, por um período prolongado, sem uso de equipamento de proteção individual. O contato próximo inclui morar, cuidar, visitar ou estar em um mesmo aposento ou sala de espera de atendimento médico. Abrange também os casos de contato direto com fluidos corporais, sem a presença de equipamentos de proteção. Dúvidas e orientações O Ministério da saúde disponibiliza o telefone 136 para cidadãos comuns e profissionais da saúde para tirar dúvidas e fornecer orientações. O Complexo Hospitalar Santa [...]

Leia mais...

IMPORTANTE! Medidas Coronavírus

Diante do contexto vivido com o Covid-19 - Coronavírus, medidas extremas de prevenção e precaução estão sendo tomadas pelo Comitê Municipal de Enfrentamento. Entre as medidas determinadas e que passam a vigorar está a restrição de visitas e acompanhamentos a pacientes internados em UTIs, enfermarias ou apartamentos, sendo que cada paciente poderá receber apenas 1 (um) visitante familiar próximo por dia, desde que este não seja do grupo de risco, salvos os casos com acompanhamento obrigatório por lei. Serão mantidos os casos previstos em lei: · Pacientes a partir de 60 anos; · Pessoas com Deficiências; · Menores de 18 anos. O boletim médico da UTI será repassado a apenas um familiar em horários pré-determinados. UTI Geral: 17h30 às 18h00 UTI Coronária: 11h00 às 11h30

Leia mais...